quarta-feira, 24 de março de 2010

Rabo de Saia










Autoria:
Walter George Durst, José Antonio de Souza e Tairone Feitosa
Direção: Walter Avancini
Direção geral do Núcleo: Ary Grandinetti Nogueira
Período de exibição: 08/10/1984 – 02/11/1984
Horário: 22h
Nº de capítulos: 20


Baseada na obra Pensão Riso da Noite: Cerveja, Sanfona e Amor, de José Condé.

A História

Nordeste brasileiro, final da década de 20. O caixeiro-viajante Ezequias Vanderlei Lins é popularmente conhecido como Quequé, figura simpática, cheia de carisma e um homem íntegro e trabalhador que se dedica ao único código em que acredita: o amor. Ao amor ele se entrega e, como resposta à sua completa dedicação, mantém três esposas, três famílias bem constituídas. Em Pernambuco, na cidade de Nova União, Quequé é casado com Eleuzina. Santinha é sua esposa em Chegança, no Estado de Alagoas. E, em Catulé, no Sergipe, criou raízes com Nicinha. Essas três mulheres são seus legítimos rabos de saia. Obviamente umas não sabem das outras, mas com todas ele é feliz e para todas traz felicidade.

Sempre de terno de linho, chapéu-panamá, sapato de duas cores e um relógio de bolso, Quequé encarnava o machão brasileiro, mulherengo e falastrão. Mudava de personalidade, caráter e as cores das roupas para apresentar-se a cada esposa. Ao fazer malabarismos para atender aos desejos da fogosa Eleuzina, ele vestia bege; da aristocrática Santinha, usava azul-marinho e preto; e da semi-adolescente Nicinha, o branco.

Foi com uma enorme gargalhada que Nicinha conheceu o "Quequezão", tiveram um filho e se tornaram inteiramente felizes. Nicinha é a mais nova das três esposas do caixeiro-viajante. Moleca, livre pela idade, inconsequência e por uma graciosidade irresistíveis, mistura, em dosagens harmônicas, inocência e perigo, ingenuidade e feminilidade.

Santinha, a esposa do meio, é a recatada Dona Santa, mulher que enviuvou cedo, absolutamente bela e de origem aristocrática. Pessoa respeitadíssima em Chegança, por seu status, e muito cobiçada por sua beleza, Santinha é a imagem do recato e da fé, na verdade suas grandes armas de sedução. Recolheu-se em sua viuvez até conhecer o Ezequias, com quem se casou três meses depois e teve mais dois filhos, que cria junto com os dois do primeiro casamento.

Com Eleuzina, a relação madura, meio maternal, profundamente honesta, na qual o caixeiro-viajante pode se mostrar como é. Pois em Eleuzina reside a principal referência de Quequé. Alegre, autêntica, vivida, forte, companheira de boemia, é com Eleuzina que o caixeiro-viajante casou-se primeiro e teve quatro filhos. Ela é uma mulher que o mina com sensualidade e que o ama com proteção.

Se as esposas de Quequé não passam de uma grande fantasia, ou se são três aspectos de uma única "mulher ideal", o fato é que elas existem e se completam, e preenchem a vida do caixeiro-viajante.


Elenco


* Ney Latorraca - Quequé
* Dina Sfat - Eleuzina
* Lucinha Lins - Santinha
* Tássia Camargo - Nicinha
* Paulo Hesse - Solon
* Luiz Guilherme - Angostura
* Newton Prado - Saturnino
* Daniel Dantas - Compadre Lula
* Marilena Ansaldi - Magnólia
* Dante Ruy
* Jackson de Souza - Sondi
* Cidinha Millan - Totéia
* Daniel Barcellos-Oficial de Justiça

Curiosidades

- O mulherengo Quequé conquistou a simpatia do público. Enquanto suas três esposas o execravam em cena, o telespectador torcia pelo personagem, que declarava amar todas as suas mulheres com a mesma intensidade.
- Rabo de saia diferia de todas as outras minisséries até então realizadas pela Rede Globo, por buscar uma linha alegórica, de humor, apesar de todas as referências a local e época. Cada capítulo era fechado numa narrativa própria, até o capítulo 14, quando as três esposas descobrem umas às outras, e o caixeiro-viajante é levado ao tribunal para julgamento. A partir daí, os capítulos começam a ter ligação e há uma mudança no ritmo do seriado.
- Inicialmente, Ney Latorraca faria outro papel na história. Ao ler o roteiro, o ator gostou tanto do personagem Ezequias que insistiu com o diretor para ganhar o papel do protagonista. Avancini relutou um pouco, pois imaginava um ator com perfil mais viril para interpretar o ardente caixeiro-viajante. Diante de tanta insistência, decidiu apostar em Ney Latorraca e acertou em cheio. Seu Quequé é um dos melhores desempenhos do ator na Rede Globo, um marco em sua carreira profissional.
- Walter George Durst, Avancini e Ney Latorraca haviam trabalhado juntos na minissérie Anarquistas, graças a Deus, exibida também em 1984.
- Reapresentada em 12 capítulos, em janeiro de 1988, e em 10 capítulos, em agosto de 1990, durante o Festival 25 anos.
- Rabo de saia foi vendida para Canadá, Cuba, México, Portugal e Turquia, entre outros.

Trilha sonora:

- Júlio Medaglia foi o responsável pela trilha sonora da minissérie. O maestro privilegiou sons nordestinos e músicas de época. A música tema da abertura era Xamego, forró de Luiz Gonzaga e Miguel Lima, interpretado por Fafá de Belém.

0 comentários: